Ginecologista em Santana | Dra Edinalva Braz

logo dra. edinalva braz ginecoogista em santana

Telefones:

   (11)  3115-4375

       (11) 94613-0766

Adenomiose: o que é, quais sintomas e tratamento.

A adenomiose é uma doença ginecológica benigna que se caracteriza pela “invasão” do endométrio (tecido que reveste internamente o útero) na parede muscular do útero (miométrio).

A adenomiose acomete em geral mulheres entre os 40 a 50 anos de idade, podendo ocorrer em mulheres mais jovens. 

Segundo a OMS Organização Mundial da Saúde, a adenomiose pode acometer 1 para cada 10 mulheres no mundo e muitas dessas mulheres não apresentam sintomas clínicos.  No entanto, quando a queixa da mulher for de sangramento menstrual abundante e com cólicas, a adenomiose deverá ser investigada.

 

ADENOMIOSE  X ENDOMETRIOSE 

Apesar de ambas terem manifestações clínicas parecidas, existe algumas diferenças entre adenomiose e endometriose.

Na adenomiose, as células que revestem a cavidade uterina chamada de endométrio, invade a camada muscular do útero chamada miométrio, resultando em um aumento difuso e global do órgão.

Na adenomiose o volume do útero pode duplicar ou triplicar podendo seu volume chegar ao tamanho de uma gestação de 3 meses. 

  Adenomiose: o que é, sintomas e tratamento.

Na endometriose, o tecido endometrial cresce em outros locais além do útero, como um “deslocamento”  do tecido endometrial para outros órgãos como ovários, trompas, peritônio, bexiga, ligamentos uterinos e intestino.

 

SINTOMAS CLÍNICOS DA ADENOMIOSE 

– menstruação com fluxo abundante, muitas vezes com coágulos 

– cólica muito forte durante o período menstrual

– dor pélvica crônica  

– dor durante a relação sexual

-sangramento fora do período menstrual

– abortos de repetição (infertilidade)

– inchaço na barriga pelo aumento do volume do útero  

DIAGNÓSTICO  

Suspeita-se o diagnóstico da adenomiose uterina, pelos sintomas clínicos  da mulher, mio hiperplasia (aumento do útero)  na ausência de miomas  e endometriose.

No entanto, algumas  mulheres podem  apresentar  miomas, pólipos uterinos e endometriose associadas à adenomiose.

A ultrassonografia transvaginal e ressonância nuclear, são os melhores exames para o diagnóstico da adenomiose  e caracterizam melhor a doença. 

TRATAMENTOS

Antes de se indicar o tratamento cirúrgico é importante iniciar, o tratamento conservador, especialmente nas mulheres que querem engravidar. 

Os tratamentos clínicos, mais indicados são:

DIU HORMONAL DE LEVONORGESTREL (MIRENA), tem mostrado boa eficácia e tolerância; 

-PROGESTAGÊNIOS (allurene e medroxiprogestrona), os anticoncepcionais orais combinados diminui a dor e o fluxo menstrual, sendo sugerido seu uso contínuo para abolir por completo a menstruação. 

Outros 

-USO DE ANTIFLAMATÓRIOS NÃO HORMONAIS, para alívio da dor e diminuição do sangramento menstrual intenso.

-ANTIOXIDANTES (vitamina C, vitamina E, resveratrol).

Em casos de insucesso terapêutico o tratamento cirúrgico é indicado, através da HISTERECTOMIA (remoção cirúrgica do útero).

Clique aqui e leia também outros artigos sobre saúde e prevenção. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos ajudar?