Ginecologista em Santana | Dra Edinalva Braz

logo dra. edinalva braz ginecoogista em santana

Telefones:

   (11)  3115-4375

       (11) 94613-0766

TPM ou TDPM: afinal o que eu tenho?

A TENSÃO PRÉ MENSTRUAL (TPM) também conhecida como SÍNDROME PRÉ MENSTUAL é definida como um conjunto de sinais e sintomas físicos, emocionais e comportamentais cíclicos e recorrentes, que aparecem na semana anterior à menstruação e aliviam com o início do fluxo menstrual.

tpm ou tdpm: afinal o que eu tenho?

Numa enquete epidemiológica, de 75 à 80% das mulheres entrevistadas em idade fértil, relataram sintomas durante o período pré-menstrual (TPM).

Aproximadamente de 8 a 10 % delas, relataram que seus sintomas são “perturbadores” (TDPM). e muito severos, motivo pelos quais buscam ajuda médica.

No período pré-menstrual os níveis dos hormônios sexuais femininos (estrogênio e progesterona) sofrem oscilações que podem afetar também os níveis dos NEUROTRANSMISSORES CEREBRAIS (substâncias químicas do cérebro) responsáveis pela regulação do humor destacando a SEROTONINA como o hormônio do “bem-estar”.

 

TENSÃO PRÉ MENSTRUAL (TPM) 

Os sintomas são os mais variados e traz mais sintomas físicos que emocional.

SINTOMAS FÍSICOS 

Na segunda metade do ciclo menstrual, o hormônio progesterona sobe aumentando a retenção de líquido e, também sobe um hormônio inflamatório, chamado prostaglandina, levando a um quadro de inchaço e dores generalizadas e queixas de:  seios doloridos, inchaço abdominal, ganho de peso, dor de cabeça, fadiga e dor nos músculos e nas articulações.

SINTOMAS EMOCIONAIS OU COMPORTAMENTAIS 

Ansiedade, irritabilidade, depressão, dificuldade de concentração, esquecimento, choro fácil, distúrbio do sono, aumento do apetite e desejo exacerbado por determinados alimentos (doces, chocolate).

 

TRANSTORNO DISFÓRICO PRÉ MENSTRUAL (TDPM)

O TRANSTORNO DISFÓRICO PRÉ MENSTRUAL (TDPM) foi definido como um tipo de DEPRESSÃO CÍCLICA, que surge no período pré-menstrual. O TDPM compartilha de muitos sintomas da TPM, no entanto, as mudanças de humor que acompanham os sintomas físicos, são mais intensos, ou seja, os sintomas emocionais da TDPM são mais GRAVES, comprometendo seriamente os relacionamentos no ambiente social e familiar.

Estima-se que de 3 a 8% das mulheres sofram com TDPM.

INSTABILIDADE EMOCIONAL E AFETIVA | ANSIEDADE ACENTUADA 

Raiva ou irritabilidade persistentes aumentando os conflitos interpessoais, sensação de estar com os “nervos à flor da pele”, alterações extremas de humor passando de IRRITAÇÃO para CRISE DE CHORO REPENTINA, pensamentos autodepreciativos, fadiga fácil, acentuada falta de energia, alterações do apetite (excessos na ingestão de alimentos ou anorexia).

OUTROS SINTOMAS FÍSICOS 

Retenção de líquidos, aumento de peso, enxaqueca, aumento da secreção vaginal, diarreia, constipação, acne e infecção pelo herpes.

 

TRATAMENTO DA TPM E TDPM 

É fundamental consultar um médico para avaliação individualizada e o alívio dos sintomas irão depender de mudanças no estilo de vida, tais como:

_praticar exercícios físicos regularmente;

_alimentação mais leve, com menor ingesta de sal, visando diminuir a retenção de líquidos;

_buscar atividades relaxantes como yoga e meditação, que ajudam a reduzir o estresse;

_fazer uso de suplementos vitamínicos, cálcio e vitamina do complexo B; 

_analgésicos para aliviar desconforto físicos como dor de cabeça;

 

Se você usar pílula anticoncepcional, peça para seu médico prescrever uma pílula combinada que contenha etinilestradiol e drosperinona, que causam menor retenção de líquido.

SE OS SINTOMAS FOREM MAIS SEVEROS, os antidepressivos podem ser indicados.

Importante registrar seus sintomas de TPM: data de início dos sintomas, data da menstruação, como fica seu humor, como você lida com eventuais CRISES EMOCIONAIS no ambiente familiar e/ou no seu trabalho.

TPM e TDPM podem desencadear problemas sérios e causar muito sofrimento para quem vive a síndrome e para quem convive com a pessoa.

Agende uma consulta médica!  O objetivo principal da consulta deve ser: ALÍVIO DOS SINTOMAS E MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA.

 

Clique aqui e leia também outros artigos sobre saúde e prevenção. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos ajudar?